#EUDENUNCIOABUSOINFANTIL

Sem título

Violência DOMÉSTICA contra crianças e adolescentes. O que é?
É a violência cometida por um adulto, contra uma criança ou adolescente, quando existe entre eles um laço de confiança e relação de cuidado. Esta violência pode ser praticada por pessoas que tenham algum grau de parentesco, tais como pais, padrastos, mães, madrastas, avós, irmãos, tios, etc., ou por outras pessoas que cuidam da criança ou adolescente, como babás, vizinhos, amigo da família, etc.

Algumas características dos responsáveis que praticam violência doméstica:
Ocultam as lesões em crianças ou adolescentes ou as justificam de forma não convincente ou contraditória;
Descrevem a criança ou adolescente como maus e merecedores de punições;
Culpam a criança ou adolescente pelos problemas no lar;
Acreditam no disciplinamento severo e na ameaça como formas de educar;
Não percebem as necessidades físicas, afetivas e cognitivas da criança ou adolescente;
Autorizam o professor a castigá-los fisicamente;
Entre outros.

CRAMI – Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância do ABCD
Campanha e design: agência GO! Comunicação

Violência FÍSICA contra crianças e adolescentes. O que é?
É todo tipo de contato agressivo e/ou violento que pode causar danos leves ou graves no corpo da criança ou adolescente. Pode ser desde uma “palmada” até agressões capazes de provocar danos físicos, como hematomas, queimaduras, fraturas ou até mesmo o óbito da vitima.

A criança ou adolescente que sofre violência física pode apresentar algumas características, como:
Presença de lesões físicas que não condizem com a causa alegada;
Baixa autoestima, considerando-se merecedor das punições;
Comportamento arredio, depressivo ou agressivo no contato com outras pessoas;
Vestimenta inadequada ao clima (calças e blusas de manga comprida, a fim de esconder hematomas e lesões);
Medo excessivo dos pais e/ou responsáveis;
Estar sempre alerta e apreensivo, esperando que algo ruim aconteça;
Outros. Lembrando que não devemos considerar um indicador de forma isolada. É importante avaliarmos o contexto das situações.

Violência PSICOLÓGICA contra crianças e adolescentes. O que é?
“É aquela que machuca o coração”. Esta foi a definição de uma criança ao ser questionada se sabia o que era violência psicológica. Para nós adultos, podemos definir como palavras e ações que coloquem a criança ou adolescente em posição de inferioridade, comparações, humilhações, ameaças, constrangimento, rejeição, isolamento, entre outros.

A criança ou adolescente que sofre violência psicológica pode apresentar algumas características, como:
Doenças frequentes sem causa e/ou diagnóstico preciso como obesidade, alergias, distúrbios do sono, etc.;
Comportamentos depressivos, baixa autoestima e/ou isolamento social;
Dificuldades e problemas escolares, quando não existem limitações cognitivas e intelectuais;
Regressão a comportamentos infantilizados (abaixo da idade cronológica);
Tendências suicidas e carência afetiva;
Outros.
Lembrando que não devemos considerar um indicador de forma isolada. É importante avaliarmos o contexto das situações
NEGLIGÊNCIA e ABANDONO. O que são?
A negligência é toda ação ou omissão que coloque a criança ou adolescente em risco ou prejudique seu desenvolvimento físico e/ou cognitivo. Já o abandono pode ser desde a ausência temporária dos responsáveis, deixando a criança ou adolescente vulnerável a situações de risco, até o abandono total, quando a criança ou adolescente é deixado na escola, na rua, etc., e não há um retorno dos responsáveis, deixando-os permanentemente desamparados.

Nesse caso, as vítimas podem apresentar:
Padrão de crescimento prejudicado;
Vestimentas inadequadas ao clima;
Necessidades não atendidas, como: higiene, alimentação, educação, saúde, etc.;
Fadiga constante;
Pouca atividade motora e cognitiva (falta de estimulação);
Atividades impróprias para a idade, como ser responsável pelos serviços domésticos, cuidados com irmãos menores, etc.;
Falta de concentração e atenção devido à fadiga constante e necessidades não atendidas;
Outros.

Violência SEXUAL contra crianças e adolescentes. O que é?
É todo ato que invada a sexualidade da criança ou adolescente, desrespeitando sua fase de desenvolvimento. Nem sempre o abuso acontece através de violência e coerção; muitas vezes, o(a ) autor(a) do abuso usa a sedução, ou seja, agrada, brinca, acaricia, faz a criança ou adolescente se sentir importante até atingir seu objetivo. São consideradas formas de abuso sexual: tocar em partes íntimas de crianças ou adolescentes ou pedir para que eles toquem no adulto, expor os órgãos genitais a eles (exibicionismo), mostrar material pornográfico ou permitir que presenciem atos sexuais, espiá-los tomando banho ou trocando de roupa (voyeurismo), falar frases obscenas, entre outros.

A criança ou adolescente que sofre violência sexual pode apresentar algumas características, como:
Comportamentos depressivos e baixa autoestima;
Vestir-se de forma desleixada, negligenciar a higiene pessoal ou apresentar algum transtorno alimentar, com o objetivo de se tornar menos atraente ao agressor;
Interesse ou conhecimentos sexuais impróprios para sua faixa etária;
Gravidez precoce ou aborto;
Brincadeiras sexuais persistentes com amigos, animais e/ou brinquedos;
Medo ou mesmo pânico de ser deixado a sós com alguma pessoa específica;
Outros.

CRAMI – Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância do ABCD
Campanha e design: agência GO! Comunicação

Denúncia:
Se você suspeita ou tem conhecimento de que alguma criança ou adolescente esteja sofrendo qualquer tipo de violência, comunique imediatamente ao Conselho Tutelar de sua cidade ou Disque 100. É garantido o anonimato a quem denuncia uma situação de maus-tratos; portanto, você não precisa se identificar. A notificação pode ser feita pessoalmente, por telefone ou por escrito.

Algumas informações que você precisa para fazer uma denúncia: Quem sofre a violência? (Vítima)
Qual tipo de violência? (Violência física, psicológica, sexual, negligência ou abandono, etc.)
Quem pratica a violência? (Suspeito)
Como chegar ou localizar a Vítima e/ou Suspeito
Endereço (Estado, Município, Zona, Rua, Quadra, Bairro, Número da casa e ao menos um ponto de Referência, concreto e que define um lugar específico)
Conselhos tutelares:
Santo André:
Conselho Tutelar I – 4990-4358
Conselho Tutelar II – 4971-6412
Conselho Tutelar III – 4997-9858
Diadema:
Conselho Tutelar I – 4059-7910 / 4059-0569
Conselho Tutelar II – 4053-8005
São Bernardo do Campo:
Conselho Tutelar I, II e III – 4126-3900
Para denúncias em todo país, DISQUE 100.
CRAMI – Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância do ABCD
Campanha e design: agência GO! Comunicação

O que é o CRAMI?
O Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância do ABCD, ou simplesmente CRAMI, é uma ONG fundada em 1988 com a missão de propiciar atendimento psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica e desenvolver ações preventivas que lhes possibilitem defesa e proteção incondicional. Atuando nas cidades de Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema, seu trabalho é baseado no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e prega o diálogo, carinho e respeito nas relações, além de oferecer apoio às famílias para que percebam e repensem suas atitudes em relação aos cuidados e educação de seus filhos. Para conhecer mais sobre nosso trabalho, acesse www.crami.org.br

Confira a página da campanha na integra no seguinte link: http://www.eudenuncioabusoinfantil.com.br/?utm_source=saobernardo&utm_medium=webdoor&utm_campaign=eudenuncioabuso

Léo Duarte

Leonardo Duarte: Ex-menino de rua, hoje Fotógrafo, Educador Social e Conselheiro Tutelar.